Rádio Diário
PREFEITURA DE JEQUIÉ - PI: 765/19 - NOVEMBRO - SARAMPO
Canonização

Irmã Dulce: A Primeira Santa Brasileira

Sua dedicação aos pobres levou-a a fundar em 1959 as Obras Sociais Irmã Dulce

13/10/2019 12h04Atualizado há 1 mês
Por: Fátima Oliveira
Foto: Divulgação / Facebook
Foto: Divulgação / Facebook

Ocorreu neste domingo (13), no Vaticano, a canonização da primeira santa nascida no Brasil. A celebração presidida pelo Papa Francisco, aconteceu na praça São Pedro na presença de milhares de fieis.

O processo de canonização de Irmã Dulce foi iniciado em 2000, quando a Igreja Católica reconheceu seu grau heróico na prática das virtudes cristãs: fé, esperança e caridade. Segundo estudiosos da causa, Irmã Dulce é “um conforto para os pobres e um exame de consciência para os ricos”.

O primeiro milagre atribuído a sua intercessão foi a cura de uma parturiente com hemorragia, ocorrida na cidade de Itabaiana, em Sergipe. Isso lhe conferiu o título de beata, pelo então Papa Bento XVI em 2011.

O segundo milagre que resultou em sua canonização ocorreu em 2014, quando foi reconhecida pela Igreja, a sua intervenção na cura da cegueira de um músico que não enxergava há 14 anos.

Nascida em Salvador em 1914, Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, desde muito cedo já demonstrava seu destemor e senso de justiça junto aos mais necessitados. Aos 13 anos, a jovem passou a acolher doentes e mendigos na sua própria casa.

Sua dedicação aos pobres levou-a a fundar em 1959 as Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), com sede em Salvador. Atualmente é um complexo de 21 núcleos dedicados ao atendimento da população de baixa renda em diversos seguimentos: Saúde, Assistência Social, Pesquisa Científica, Ensino em Saúde, Educação e preservação e difusão da história de sua fundadora.

Para Irmã Dulce, o trabalho em favor dos necessitados é missão:

"Quando nenhum hospital quiser aceitar algum paciente, nós aceitaremos. Essa é a última porta e por isso eu não posso fechá-la."

O “Anjo Bom da Bahia”, como também era conhecida, faleceu em Salvador, aos 77 anos, em 13 de maio de 1992. Seu processo de canonização é o terceiro mais rápido, tendo durado 27 anos.

Neste domingo (13), através de decreto foi criado em Salvador o primeiro santuário e paróquia dedicados a Santa Dulce dos Pobres.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.