PI: 646/19 - PREFEITURA DE JEQUIE - SETEMBRO AMARELO
Economia

Junta de Execução Orçamentária passará a ser assessorada por técnicos

Mudança saiu em decreto publicado esta semana

30/06/2019 13h07
Por: Redação
Fonte: Agencia Brasil
111

Órgão responsável por definir a execução da política fiscal, a Junta de Execução Orçamentária (JEO) terá uma assessoria técnica para orientar as decisões do governo. A mudança saiu em decreto publicado na última quinta-feira (27) no Diário Oficial da União.

Composta pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a JEO tem como principal atribuição definir o contingenciamento (bloqueios) no Orçamento para cumprir as metas fiscais estabelecidas em lei. Com o decreto, o órgão passará a abrigar a Comissão Técnica de Gestão Orçamentária e Financeira. A comissão terá oito membros, quatro representantes do Ministério da Economia e quatro da Casa Civil.

Do Ministério da Economia, integrarão a comissão os secretários do Tesouro Nacional, do Orçamento Federal e de Política Econômica, além do secretário especial da Receita Federal. Da Casa Civil, farão parte da assessoria técnica o secretário-executivo, o secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos e os subchefes de Ação Governamental e de Articulação e Monitoramento.

Segundo a Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia, o decreto tem como objetivo aprimorar a Junta Orçamentária, ao institucionalizar o trabalho de técnicos que informalmente auxiliavam os dois ministros na busca pelo equilíbrio fiscal e pela redução de incertezas na economia.

Com o Programa de Estabilização Fiscal de 1998, o governo criou a Comissão de Controle Fiscal, órgão formalmente estabelecido. No entanto, depois da publicação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), em 2000, a comissão foi desmanchada porque o governo entendia que a lei autorizava a criação de conselhos e de controles.

Pouco tempo depois da entrada em vigor da LRF, a Junta Orçamentária foi recriada em caráter informal porque os controles e os conselhos não saíram do papel. Desde então, a junta passou a ser a principal instância de decisão sobre o Orçamento. Somente em outubro 2017, um decreto formalizou a junta, mas secretários e técnicos continuaram a assessorar os trabalhos em caráter informal.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.