PI: 673/19 - ABRA O OLHO QUE VOCÊ VÊ
Escola de Idiomas
Desenvolvimento

Lavanderias públicas impulsionam desenvolvimento econômico em Salvador

Espaços Públicos Estaduais impulsionam o desenvolvimento econômico e mantém tradição das lavadeiras.

29/03/2019 15h09
Por: Redação
Fonte: Secom - Bahia
Foto: Alberto Coutinho/GOVBA
Foto: Alberto Coutinho/GOVBA

Tão antiga quanto a cidade de Salvador, que completa 470 anos nesta sexta-feira (29), a profissão de lavadeira atravessou os séculos e continua existindo, inclusive nas grandes cidades. Na capital baiana, seis Lavanderias Públicas administradas pelo Governo do Estado seguem em plena atividade, garantindo renda para muitas mulheres.

No Engenho Velho de Brotas, a Lavanderia Santa Luzia oferece vigilância, água, eletricidade, quaradouro, tábua de passar e uma máquina de lavar. Marli Barreto, de 54 anos, começou a lavar roupa aos 13, quando acompanhava a mãe que a criou com mais oito irmãos com o dinheiro conseguido do ofício de lavadeira. "Há 41 anos, tiro meu sustento aqui da lavanderia Santa Luzia. Eu não me vejo fazendo outra coisa que não seja lavar roupa. Tenho muito orgulho de dizer que criei meu filho, os estudos, viagens que ele faz para competir como nadador, tudo com o que tiro aqui”, conta a lavadeira.

Uma das maiores lavanderias comunitárias de Salvador, a Santa Luzia conta com diversos tanques, varais e uma extensa mesa para passar roupas. As lavadeiras levam o material básico que utilizam, a exemplo do sabão e convivem, em comunidade, que compartilhando o seu dia a dia enquanto lavam e passam. Quem também trabalha no local é Déa Vilaça. “Estou aqui desde que esse terreno ainda era uma fazenda. Hoje com 84 anos, sendo 65 vividos nessa lavanderia, posso afirmar que tudo que tenho foi fruto do meu trabalho de lavadeira”, conta. 

 

Lavanderias 

A estrutura, garantida pelo Estado por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), é a mesma em todos os outros cinco espaços públicos, que são localizados no Dique do Tororó (Aristides Novis); Cosme de Farias (Cardeal da Silva); Boca do Rio (Julieta Calmon); Alto das Pombas (Nossa Senhora de Fátima) e Federação (São Gonçalo).

A supervisora das Lavanderias, Aline Fontoura, destaca que “esses espaços datam da Década de 50 e são muito importantes, pois são capazes verdadeiramente de gerar renda para esse grupo que, embora atualmente reduzido, com cerca de 70 lavadeiras cadastradas, é parte viva da história de Salvador”. 

 

Os preços dos serviços variam entre R$50 para uma trouxa de até 10 peças e R$ 74 para até 60 roupas. É possível fazer um plano mensal que varia entre R$ 200 e R$296. A lavanderia Aristides Novis é uma das mais produtivas, localizada no Dique do Tororó, e possui clientes que enviam trouxas de cerca de 800 peças. Os interessados devem ir diretamente às lavanderias e procurar uma das profissionais presentes. Os espaços funcionam entre 8h e 17h, todos os dias.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.