Sexta, 18 de agosto de 201718/8/2017
73.98844-5110
GOVERNO DO ESTADIO AGOSTO DE 10A24 DE AGOSTO
CIDADES
Cicom registra aumento no número de golpes bancários aplicados
O modo como acontece o crime, geralmente, é muito parecido. Normalmente, as pessoas percebem quem está com dificuldade no caixa eletrônico, na área de autoatendimento do banco, se aproxima e oferece ajuda;
Redação Diario Jequié - BA
Postada em 08/07/2017 ás 12h57
Cicom registra aumento no número de golpes bancários aplicados

Foto: Paulo José / Acorda Cidade

Com uma média de quatro mil ligações diária, podendo chegar a cinco mil em horários de pico, o Centro Integrado de Comunicações (Cicom), que atende a Polícia Militar através do 190, a Civil (197) e o Corpo de Bombeiros (193), tem registrado aumento no número de queixas relacionadas a golpes bancários nos últimos dias, em Feira de Santana.


\"\"


De acordo com o capitão da Polícia Militar, Rosuilson Cardoso, houve uma elevação nos crimes de estelionato, fraudes e golpes, sendo os mais comuns os que ocorrem dentro de agências bancárias da cidade, no período do final e início de mês, quando é feito o pagamento dos aposentados. Em junho, foram registradas sete queixas envolvendo golpes bancários. E somente nos primeiros dias de julho foram 13.


“O modo como acontece o crime, geralmente, é muito parecido. Normalmente, as pessoas percebem quem está com dificuldade no caixa eletrônico, na área de autoatendimento do banco, se aproxima e oferece ajuda; se mostra como funcionário do banco, e a pessoa que está carecendo de ajuda fornece o cartão bancário, muitas vezes digita a senha, e a pessoa está vendo e gravando a senha, para certamente aplicar o golpe. Além desse crime, existem outras formas, como o falso sequestro, o bilhete premiado, promoções”, informou o capitão.


Se proteja


O capitão Rosuilson Cardoso deu algumas dicas de como as pessoas podem se proteger de possíveis golpes nas agências bancárias. Segundo ele, a falta de funcionários e segurança em número suficiente para atender a demanda favorece a presença de delinquentes nesses locais.


“A pessoa que tem dificuldade de digitar a senha em uma operação bancária deve procurar um funcionário do banco, devidamente identificado. Não deve fornecer em nenhum momento para uma pessoa estranha a senha e nem permitir que ela manuseie o cartão bancário. Geralmente as pessoas, principalmente os idosos, costumam guardar o cartão juntamente com a senha. Isso facilita a vida do criminoso. Então a senha bancária não deve ficar próximo ao cartão”, alertou.


O capitão ressalta que se o cliente que está com dificuldade percebeu que alguém se aproximou, não deve fornecer nenhum tipo de informação. “Jamais queira receber ajuda de pessoas estranhas naquele ambiente.


Geralmente, eles têm uma facilidade muito grande, uma lábia muito boa. Inclusive o termo estelionato vem de um camaleão, que consegue ludibriar qualquer pessoa, o famoso 171. Ele se aproxima, mostra-se educado, prestativo, e as pessoas acabam caindo na lábia dele, que vai aplicar o golpe, subtrair o seu dinheiro ou os seus pertences”.


Falso sequestro


O capitão Rosuilson falou também sobre uma prática que também é muito comum, chamada falso sequestro, que é pessoas ligam de um telefone estranho para alguém informando que um parente foi sequestrado e está em poder dos bandidos.


“Quando você atende, ouve um grito de socorro, que não consegue distinguir se é mulher, homem, adulto ou criança. O indivíduo entra na linha e fala: ‘Tô com ele aqui na minha mão’. Primeiro ponto: mantenha a calma. 99% disso é golpe. Não forneça em nenhum momento o nome dos seus familiares pra ninguém, pois ele vai perguntar informações e você vai começar a entregar os detalhes sem perceber. Verifique se aquele número você reconhece ou não, se é da região. Geralmente, quando esse crime acontece, eles pedem para que seja feito um depósito bancário ou em lotérica”, explicou.


Rosuilson Cardoso enfatiza a necessidade das vítimas manterem a calma nessas situações. “Se alguém ligar pra você, simulou e gritou socorro, desligue o telefone. Mantenha a calma e não fale o nome dos seus familiares, de ninguém. Automaticamente, peça para alguém ligar para o familiar, para saber onde está, e ligue para o 190 para fazer o registro e, em seguida, vá até a delegacia registrar a ocorrência”.


Bilhete premiado


A população também deve estar atenta quanto ao golpe do bilhete premiado. “Se você não se inscreveu em nenhum tipo de sorteio, porque foi premiado? Geralmente, o pessoal manda um SMS, um Whatsapp dizendo que você foi sorteado para ganhar uma casa e pede um valor. Se o indivíduo pede para fazer transferência bancária ou adquirir créditos telefônicos, com certeza é golpe”, afirmou o capitão.


Trotes


O serviço do Centro Integrado de Comunicações (Cicom) está disponível 24 horas, atendendo aos chamados de urgência e emergência ligados à área policial e a Defesa Civil de Feira de Santana e mais 16 municípios da região. Apesar da extrema importância para a população, o serviço ainda enfrenta o chamado ‘trote’, que são ligações com denúncias e queixas falsas.


Conforme o capitão Rosuilson, o número de trotes vêm diminuindo, mas ainda ocorre em 40% das ligações recebidas. “Temos ainda um trabalho a ser feito junto à comunidade. A conscientização da população com relação à importância do serviço, que só pode ser utilizado quando for realmente necessário. Algumas pessoas não entendem isso e utilizam para passar trote. Temos feito um trabalho de conscientização, de repressão. Pessoas já foram presas em razão disso, e temos outras que já foram identificadas e serão”, concluiu.


Veja outros golpes comuns em Feira de Santana e saiba como evitá-los:


Pacote de dinheiro


Muito comum durante o período de pagamento de aposentados da Previdência Social. Os estelionatários observam a futura vítima sacando elevada quantia em dinheiro em um banco e a seguem. Um deles deixa propositadamente cair uma folha de cheque de alto valor ou um pacote de dinheiro falso, visando chamar a atenção da vítima. Um segundo estelionatário, aproxima e diz que também viu o acontecido e convence a vítima que os dois devem juntos devolver o dinheiro.


Neste momento, o estelionatário que deixou cair o objeto no chão se diz agradecido e oferece uma recompensa à vítima e ao comparsa, dizendo que eles deverão comparecer a um escritório, loja, supermercado etc., para receber a dita recompensa. O golpista vai receber a suposta recompensa e volta com uma boa quantia em dinheiro, despertando o interesse da vítima. Na sua vez de receber a recompensa, a vítima é orientada a deixar a sua bolsa e seus objetos pessoais, somente percebendo que foi vítima de um golpe quando os estelionatários já desapareceram.


Dicas:
 


- Desconfie de ofertas vantajosas demais;
- Não confie em pessoas estranhas;
- Não se desvie do seu itinerário. Ao sair do banco ou lotérica com dinheiro, dirija-se para casa ou para um local seguro;
- Não manuseio dinheiro em público nem próximo aos caixas eletrônicos. Isso atrai a atenção dos golpistas;
- Jamais entregue qualquer pertence pessoal a desconhecidos, por mais vantajoso e seguro que isso pareça;
- Dirija-se à Delegacia de Polícia para comunicar o ocorrido e para que o caso seja apurado.


Carro Quebrado


É um golpe muito comum durante o período de férias. O criminoso liga para números aleatórios e quando alguém atende geralmente diz “bença tia, fala primo etc.”. O suspeito se passa por parente da vítima e diz que estava indo visitar os parentes, iria fazer uma surpresa, mas o carro quebrou na estrada e está precisando de dinheiro para o guincho ou para pagar o mecânico. A vítima acreditando que o parente está com dificuldades realiza o depósito.


Em outra versão do golpe, o estelionatário pode pedir crédito de celular, supostamente para manter contato com a seguradora e com familiares.


O que leva as pessoas a caírem nesse golpe é a vontade de ajudar o familiar.


Dicas:
 


- Ao receber este tipo de telefonema, mantenha a calma e busque informações sobre o nome, local onde mora, para onde está indo, qual parente está indo visitar e em que local o carro está quebrado;
- Nunca fale nem confirme o nome de seus familiares para desconhecidos;
- Confira se o número do telefone do qual está recebendo a ligação é o mesmo do parente;
- Entre em contato com os familiares mais próximos do suposto parente para saber se realmente a situação tem possibilidade de ser real;
-- Desconfie sempre que receber ligações de números desconhecidos solicitando recargas de celular ou depósitos bancários;
- Dirija-se à Delegacia de Polícia para comunicar o ocorrido e para que o caso seja apurado.


Sentença judicial


A vítima recebe uma mensagem de texto, ligação ou email de alguém se passando por advogado, defensor público ou serventuário da justiça relatando que saiu uma decisão judicial da qual a mesma tem a receber um elevado valor em dinheiro, bastando apenas a vítima pagar as custas do processo, depositando determinado valor em uma conta bancária.


Quase sempre a vítima é orientada a entrar em contato através de um número de telefone, através do qual outro membro da quadrilha conduz o golpe.


Dicas:
 


- Desconfie de ofertas vantajosas demais;
- Ao receber esse tipo de comunicado, a vítima deve ignorar;
- Desconfie sempre que receber ligações ou mensagens solicitando depósitos bancários;
- Caso tenha algum processo judicial em curso, consulte diretamente o seu advogado a respeito do seu andamento;
- Não ligue para números desconhecidos e jamais passe informações pessoais e bancárias por telefone ou email;
- Dirija-se à Delegacia de Polícia para comunicar o ocorrido e para que o caso seja apurado.

FONTE: Acorda Cidade
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
imprimir
427